Fotografia da rocha encontrada com hieróglifos - Ludwig Morenz / Universität Bonn

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Bonn localizou quatro impressionantes escrituras entalhadas há cerca de 5 mil anos no Sudão. Eles foram analisados por historiadores, que intitularam a obra como "Domínio de Horus Rei Escorpião", contendo um símbolo circular de demarcação territorial de um líder político.

Noticiado pelo jornal britânico Daily Mail, o estudo relata que a área era incomum para a construção de comunidades em aproximadamente 4000 a.C., podendo ser uma prova da migração e colonização nas regiões ao redor do rio Nilo.

Depois de decifrar os códigos, os arqueólogos concluíram que a movimentação teve o rei Escorpião como articulador, por volta do ano 3070 a.C. — sem maiores informações sobre período de reinado e ações governamentais. Com a pedra, é possível analisar o domínio do governante como uma das primeiras evidências históricas sobre o surgimento de um Estado territorial.


Reprodução digital dos hieróglifos encontrados na rocha / Crédito: Umzeichnung David Sabel / Universität Bonn

Ludwig Morenz, pesquisador da Universidade de Bonn e um dos autores da análise, explica o sinal de demarcação de um governante: "É precisamente por isso que a nova descoberta da inscrição na rocha é tão valiosa. Apesar de sua concisão, a inscrição abre uma janela para o mundo do surgimento do Estado egípcio e da cultura associada a ele", concluiu.

Essas descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Uma das que mais chamam a atenção sem dúvida, ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.

Siga o MundialGeek nas redes sociais e não fique por fora dessa e outras notícias do mundo arqueológico.

 

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem