(Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)


Fala galera, o Disney+ agora está barrando quem abusa dos sete dias grátis criando contas falsas: a técnica, que vem rodando no Brasil desde pelo menos terça-feira (17), envolve gerar números falsos de cartão de crédito/CPF e tinha até tutorial no YouTube. O serviço de streaming agora bloqueia essas tentativas de assinar o serviço.


Tutorial em vídeo ensina a ter Disney+ "de graça"; método não funciona mais (Imagem: Reprodução/YouTube)


O cadastro em si exige poucas informações: basta inserir um endereço de e-mail, senha, nome completo, CPF e dados de cartão de crédito. Talvez por muita inocência, o Disney+ não conferia se era realmente possível fazer cobranças no número do cartão.

Sendo assim, os usuários do Brasil, vinham compartilhando o “truque” para conseguir o Disney+ de graça em poucos passos: a instrução era usar um site para gerar números válidos de cartão de crédito, e utilizar outra ferramenta para criar um CPF falso.

Isso tudo com certeza vai contra os termos de uso do Disney+. O contrato de assinatura diz que “você concorda em não usar identidade falsa ou declarar de forma imprecisa sua inscrição como sendo qualquer outra pessoa”; o usuário também não deve “fornecer informações pessoais imprecisas, falsas ou incompletas”. Quem violar essas regras fica sujeito a ter a conta cancelada.

Parece que o Disney+ detectou o esquema nas redes sociais, e algumas pessoas estão se queixando de que a tática deixou de funcionar.


Disney+ confere se é possível fazer cobrança no cartão (Imagem: Reprodução)


A assinatura do Disney+ custa R$ 27,90 por mês ou R$ 279,90 por ano. O serviço de streaming traz conteúdo da Marvel, Pixar, Star Wars e National Geographic, além de duas temporadas de Os Simpsons e alguns filmes da Fox.

Siga o MundialGeek nas redes sociais e não fique por fora dessa e mais notícias.


Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem