A Samsung revelou que o presidente Lee Kun-hee morreu hoje, 25 de outubro, aos 78 anos, após passar os últimos seis anos no hospital devido a um ataque cardíaco. A empresa não nomeou seu sucessor em um comunicado enviado ao Engadget, mas o filho de Lee e líder de fato, o vice-presidente Lee Jae-yong (também conhecido como Jay Y. Lee), é considerado um dos candidatos mais prováveis.

Nascido em 1942, Lee ajudou a transformar a pequena empresa de seu pai, Lee Byung-chull, no maior conglomerado sul-coreano. Desde que assumiu a liderança da companhia em 1987, ele acompanhou a transição da Samsung como fabricante de televisores rumo à maior produtora de smartphones e chips de memória.

Com isso, o magnata se tornou o homem mais rico da Coreia do Sul, com fortuna estimada em US$ 20,7 bilhões, segundo a Bloomberg.

Lee também se envolveu em problemas com a Justiça envolvendo pagamentos de propinas a ex-presidentes. Um deles, Lee Myung-bak, que governou a Coreia do Sul entre 2008 e 2013, foi condenado em 2018 a 15 anos de prisão por aceitar US$ 5,4 milhões de propinas da Samsung para conceder perdão ao chefe da empresa por sonegação de impostos.

Há uma boa chance de você possuir pelo menos um produto Samsung ou usar um dispositivo que depende de peças Samsung, e Lee desempenhou um papel fundamental nisso. 

Até certo ponto, o panorama moderno dos smartphones deve sua forma a Lee: a empresa adotou os smartphones e lançou a linha Galaxy sob sua supervisão. Quaisquer que sejam as opiniões sobre Lee, as bases que ele estabeleceu podem fazer da Samsung um esteio do mundo da eletrônica por muito tempo.

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem