A chuva de meteoros Orionídeos terá seu pico na madrugada desta quarta-feira (21) e poderá ser vista a olho nu do Brasil.

Segundo coordenador do Observatório Didático de Astronomia da Unesp Bauru, Rodolfo Langhi, o melhor horário para fazer a observação do fenômeno será após a meia-noite. "Toda e qualquer luz ofusca o brilho dos meteoros, inclusive da Lua", afirma.

A orientação do especialista para aqueles que desejam obter uma melhor visão da chuva de meteoros é se deslocar a um lugar afastado das luzes da cidade, preferencialmente onde não haja prédios e árvores muito altas.

De acordo com o astrônomo, para avistar o fenômeno, não será preciso a ajuda de lunetas e binóculos, por exemplo, basta deitar no chão e observar o céu atentamente.

"A chuva só pode ser vista a olho nu porque os meteoros passam muito rapidamente e são dispersos entre si. Apesar de todos cruzarem um único ponto, que é a Constelação de Orion, eles podem ser avistados de qualquer lugar do céu", explica.

Langhi explica que o fenômeno ocorre todo mês de outubro, isso porque o planeta Terra passar por uma região no espaço onde estão os fragmentos deixados pela passagem do cometa Halley. Quando esse material, mesmo que de pequenas dimensões, entram na atmosfera, entram em combustão e deixam um rastro luminoso no céu.

É importante ainda que o céu esteja aberto, isto é, sem nuvens que possam encobrir o fenômeno. Segundo a meteorologia, é esperado que o tempo esteja favorável para observação do fenômeno.

O Halley só passa pela Terra a cada 75 anos, e a próxima vez que poderá ser visto será em 2061. Mas os cometas deixam rastros em suas órbitas que podem durar dezenas ou até centenas de anos.

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem