O poder da amizade é latente nesse filme | let me in


Sinopse-  Deixe-me entrar (2010)

Owen é um garoto de 12 anos muito sozinho, criado por sua mãe recém divorciada, sofre bullying na escola e observa a vizinhança nos momentos de lazer na quadra do seu condomínio habitacional. Ele percebe a chegada de um novo vizinho e conhece Abby, ela parece ter a mesma idade e logo eles se sentem próximos pela solidão imposta. Ela o encoraja a enfrentar os valentões da escola e ele se vê tendo uma amiga e aos poucos vai conhecendo mais sobre seu lado sombrio.

Uma Breve análise sobre a amizade em Deixe-me Entrar

O poder da amizade é latente nesse filme. Owen e Abby se encontram em um quadro de solidão, quando se veem pela primeira vez na área de lazer do conjunto habitacional eles entendem que já estavam se procurando. Owen até aquele momento era um menino muito solitário sobrevivendo ao divorcio de seus pais e as provocações dos brigões da escola quando conhece a garota Abby e nela a amizade que precisava, lhe compreendendo e dando a força a qual precisava. Embora ele ainda não a entenda em seu mundo nebuloso no qual ele só a encontra a noite e não a vê na escola, ele encontra nas falas e abraços daquela garota o que lhe faltava.


O elemento central desse filme é sobrenatural, trata-se de um filme de terror, mas o seu desenvolvimento se dá em uma esfera ampla quando explorado o laço criado entre um menino e uma menina. Independente da situação ou do grau das dificuldades, parece que tudo se torna mais fácil quando encontramos alguém para dividir o peso da situação mutuamente. Por mais tenebroso que possam ser as situações, temos forças quando não estamos sós. Como explicar o poder desse outro que procuramos?! Esse outro parece imprescindível a um nível acima do visto pelos outros. Abby não está presencialmente na escola quando ele consegue enfim se defender dos garotos que o perseguem, mas ela está na força criada por ele para se defender, na coragem alimentada por suas palavras de confiança.

Gostando de Ler a Things Hunter? Tem mais aqui:
Já viu Hereditário? Leia também


Às vezes parece que só precisamos saber que aquele outro existe para nos sentirmos completos como buscamos a vida inteira. Em um mito grego sobre a busca da alma gêmea conta que homem e mulher eram um só, dividiam um mesmo corpo até que por causa da ousadia do homem em desafiar Deus ou nesse caso Zeus, ele separou homem e mulher deixando cada um em um extremo para que ficassem a vida se procurando e passassem o tempo obedecendo e não se rebelassem mais. Esse mito faz sentido pra você?!


É inegável a nossa busca pela outra parte, se não para um relacionamento conjugal, procuramos por quem nos compreenda, nos apoi, sendo amigos ou namorados, amigos, como queiram classificar, precisamos e queremos ser compreendidos por alguém em especial, não saímos por aí contando tudo a todos, mas temos alguém no coração com quem dividimos os nossos segredos. Queremos ter aquela pessoa e só aquela pessoa. É difícil assumir isso?! Estamos em um momento em que todos tem se orgulhado muito de sua independência emocional, mas não temos que ser ainda mais responsáveis quando temos alguém assim?! Termos com quem contar não implica em uma dependência, o outro não vai lhe carregar nas costas, somos responsáveis por nós mesmos e querer esse outro não é se acomodar, mas ter uma companhia para lutar.

Esse outro implica em um encontro que aos olhos dos outros pode não significar nada, esse encontro é completamente íntimo, diz respeito somente a essa duas chamas iguais. A partir desse encontro as batalhas da vida parecem não pesar tanto ou deixam de serem intransponíveis. Não precisa ter medo de que sature, esse sentimento não é em nada fugaz, precisa ser sentido de forma saudável, pois tudo em desequilíbrio se torna doentio, mas não precisa ter medo por mais assustador que pareça esse encontro com esse outro. É um encontro único.


Depois que Owen descobre o segredo da sua amiga/amor, ele não deixa de amá-la, ele entende que precisa agora protegê-la. Quando encontramos essa outra parte não a deixamos ir, não sabemos muito como manter essas relações, muitas vezes são os relacionamentos mais desafiadores, mas não sabemos mais viver sem essa completude. Esteja onde estiver seu coração, sempre estará conectado ao desse alguém, você já está, mas se ainda não encontrou só não percebeu ainda.

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem