Sinopse - Naruto
Naruto tem a Raposa de Nove Caudas presa dentro de si depois de ela ter destruído a vila e matado seus pais. Ele é criado pelos moradores da vila e ainda muito cedo junto com seus amigos é educado para se tornar ninja e se habilitar para reagir ao demônio que mora dentro de si. Ele segue ao lado de seus amigos Sasuke, Sakura, Gaara e Hinata em várias jornadas até sua formação.

Um anime ensina muito, mesmo aqueles que se recusam a assistir mas já conferiu Death Note, sabe do valor de um anime, o que pode alcançar enquanto narrativa e profundidade lógica. Naruto se propõe a trazer uma linda lição de resiliência e resignação. O menino órfão crescido em uma vila consegue cativar a todos e crescer em um ambiente de amor, mesmo tendo um demônio preso em si com risco de se manifestar. Naruto consegue transpor o medo pertinente de alguém que guarda um demônio oferece e conquista por sua amorosidade e pureza. Ele é visto sempre como um receptáculo, uma forma preenchida pela Raposa de Nove Caudas, porém ele consegue ele traça seu próprio caminho, ele supera a imposição de como é visto, ele transforma o ambiente com amor.


O assunto família é muito delicado, é complexo e doloroso sabermos ser parte ou entender as partes, às vezes tentamos adotar pessoas para preencher as lacunas deixadas por um irmão que não agiu como irmão ou mãe que não agiu como mãe, mas é o que temos e com o qual temos que conviver. Às vezes o mais difícil na vida é aceitar, família parece ser bem o caso daquilo que é difícil e somente temos que aceitar e não mudar ou julgar e ainda menos condenar. É claro na vida que todos tentam fazer o seu melhor e quando assim não se mostra vemos a limitação do outro e cabe a nós tentar compreendermos.

Sasuke não aceita o que lhe aconteceu e contrapõe a sua situação com a do Naruto. A dor é perceptível ali, também temos o Gaara que não suporta tanto ódio dentro de si, que não conseguiu transmutar assim como o Naruto e se transformar. Sasuke perdeu seus pais ainda quando crianças pelas mãos de seu irmão, seu conflito interno é comensurável, suas questões infinitas. Cada um sofre à sua maneira, desde a expansão como a introspecção podem ser dores escondidas, disfarçadas, depende de quem está interpretando a situação. De qualquer modo, as feridas causadas pela família e por sua falta são feridas da alma, não há quem possa ser indiferente a isso, por isso se torna um tema tão tocante, doido.


Gaara responde com ódio aos estímulos que lhe são infligidos, quem pode julgá-lo?! Naruto não se torna uma referência nesse anime sendo comum, ao contrário, ele é a exceção. Naruto perdeu sua família no ataque à vila causado pela Raposa de Nove Caudas que agora se esconde dentro dele. O conflito interno não termina nunca. Pode passar quanto tempo for, a família sempre será parte de nós, parte de nossa alma. É dificil caminhar sem nossas origens, mas é complexo vivermos sob essa supervisão. Muitas vezes a nossa identidade se confunde e parecemos como projeções somente.

Naruto acolhe a todos na vila e é acolhido de volta, ele semeia amor. Sasuke se fecha em si mesmo e Gaara só consegue odiar. Tudo isso dentro de uma mesma história, os personagens se entrelaçam e porquê toda essa diferença na narrativa individual de cada qual?! A resiliência é nítida em Naruto, ele faz da vila todo o seu lar, todos devem lhe pagar um lamen. Sasuke sempre se vê sozinho e Gaara precisa lutar contra o mundo. Aspectos pessoais comandam o jogo. Todos eles recebem treinamento, têm suas oportunidades, mas somente o Naruto tem esse aspecto de possuir amor em seu coração, isso não lhe devolve a família perdida, não retira as dificuldades de sua vida, mas lhe permite alcançar o domínio de si mesmo, ele é o verdadeiro guerreiro, pôs seu coração em tudo, se entregou, evoluiu. Sasuke fica perdido no looping da vingança e infinitas lutas as quais mais parecem sem sentido e Gaara em outro looping de ódio solitário.


A forma como reagimos diante de uma situação é toda a situação muitas vezes. Recordo aqui de Poliana fazendo o Jogo do Contente, outra bela história de resiliência e resignação. Sabendo como receber as situações as quais lhe são oferecidas ela conquista o duro coração da tia Polly. Não há como odiar ou desprezar alguém que lhe oferece amor. Vamos devolver com amor seja o que for nos enviado. Amor, parece sempre a melhor resposta. Entender que cada um dá o que há dentro de si exige um equilíbrio sobre nós mesmos e não no outro. Poliana consegue transformar todas as dificuldades em seu caminho em jogos, paisagens, poesia. Ela faz de sua vida um mundo do contente, onde tudo o que lhe acontece é bom, por algum motivo e por tudo ela agradece.


Gostou da Análise ? Não deixe de fazer o nosso quiz
E Tem mais da coluna Things Hunter aqui, sobre Supernatural

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem