James Dean - Ator 

Com suaves traços e uma amabilidade e instabilidade perceptíveis impressos no seu jeito de ser e depois muito bem observado em suas atuações, tornando-se de cara o mais adorável adolescente rebelde, James Dean, alcançou o grande público no filme Juventude Transviada (1955), permanecendo esse filme até hoje como a maior representação da juventude. Ele trazia em si o comportamento rebelde de todo adolescente, todas as angústias, suas representações no cinema era muito de si próprio. Sua forma atormentada de ser e demonstrar chamava atenção por onde passava, sua rebeldia era sua verdade vivida. Seu comportamento era de caráter genuíno e por isso tenha surgido como um ícone, por mais que saibamos o que é se sentir inadequado, sempre tentamos nos encaixar e não demonstrar essa carência. Dean fez a diferença expressando sua rebeldia com ternura. E não é na forma de expressão que está a diferença?! Tudo precisa ser dito, mas a diferença está na forma em como fazemos.


Nascido em 8 de dezembro de 1931, na cidade de Indiana nos EUA, seu nome completo era James Byron Dean. Ele realmente não teve uma vida fácil principalmente pelo aspecto familiar, perdeu sua mãe Mildred Dean, aos 7 anos e passou a ser criado por uma tia após o segundo casamento de seu pai Wilton Dean. Ele era um inconformado com as disciplinas rígidas e a forma limitadora como eram empregadas, mas não um marginal. Fugiu para Nova York com 17 anos e empregou-se como garçom e ascensorista para custear seus estudos cênicos no famoso Actors Studio, o rapaz sabia o que queria. Chegou a cursar faculdade na Califórnia, UCLA, no curso de especialização em Artes Cênicas.

Percorrendo seu trajeto talentoso, teve notoriedade de seu charme alcançado já na sua atuação como São João em Hill Number, ganhando o coraçãozinho das garotas de uma escola católica, formando seu primeiro fã clube. Algumas participações como figurinista em produções como O Marujo foi na onda (Sailor Beware, 1951), com Jerry Lewis, Baionetas Caladas (Fixed Bayonets, 1951), Sinfonía Prateada (Has Anybody see My Gal, 1952) e Atalhos do Destino (Thouble Along the way, 1953) e em mais de 25 telefilmes foram essenciais para sua formação e reconhecimento enquanto ator e traço de sua personalidade marcante, indispensável para o ícone o qual se tornou.

James Dean e Julie Harris em Vidas Amargas (1955)

Seu primeiro personagem foi o Cal, de Vidas Amargas (1955), não muito diferente de como era na sua vida, seu personagem era um jovem consternado. Jack Warner, diretor dos estúdios Warner, logo reconheceu o potencial do jovem atormentado a sua frente o fazendo assinar um contrato por 7 anos, foi Jack Warner que lhe deu seu primeiro grande trabalho de sucesso, Juventude Transviada (1955) interpretando adorável rebelde Jim Stark, filme o qual marcou toda uma geração se tornando um referencial de um período de transição reconhecido como perturbador para todos nós e Assim caminha a humanidade (1956), tendo ganho um Oscar póstumo por esse.

Elizabeth Taylor contracenando com James, em Assim caminha a humanidade (1956)

Dean também apresentava suas inquietações na vida amorosa, mostrando interesses homossexuais também, era sabido do seu envolvimento com rapazes em Nova York. Viveu uma grande paixão em Hollywood por Ursula Andress, uma suíça. Exótico, bem no tom esperado por uma personalidade como a dele, viveu um amor obsessivo pela atriz Pier Angeli, italiana com quem pretendia casar-se, não tendo conseguido por causa da mãe dela que rejeitava a sugestão de um genro tão problemático. Dean perdeu sua jovem amada para o cantor Vic Damone, o qual anos depois de casamento foi suspeito pela morte de sua esposa. Dean foi até a porta da igreja Bom Pastor em Beverly Hiils no dia do casamento para assistir e atuar na saída dos noivos. Jeans surrado, jaqueta vermelha e boné de couro Dean ficou acionando sua moto até dá uma sensacional arrancada, em uma cena visceral.

James Dean e elenco em Juventude Transviada, de 1955

Sua morte é bem característica de sua personalidade angustiada. Em 30 de setembro de 1955, após finalizar sua participação em Assim Caminha a Humanidade, James Dean chocou seu Porsche branco contra outro carro na estrada de Salinas de Califórnia, falecendo prematuramente aos 24 anos de idade. Ele deixou orfanados corações de toda uma geração que se inspirava em seus personagens, se identificavam com suas questões, se reconheciam em suas atitudes como o personagem de seu amigo Platão de Juventude Transviada. Viveu e morreu intensamente, assim como seus personagens. "James Dean morreu exatamente no momento certo. Se tivesse vivido não teria conseguido fazer jus a imagem e a lenda criada pelos agentes de publicidade da Warner..." (Astros & Estrelas, 1992) essa fala foi do Humphrey Bogart, um dos ídolos do ator, o outro era Marlon Brando. seria verdade o que foi dito por Bogart?!

James Dean havia comprado o Porsche 550 Spyder 9 dias antes de ser morto no acidente.

Temos sua atuação registrada nos filmes citados e a memória do espírito como o dele já ter habitado entre nós. Espírito livre, trazendo seus traços próprios de tormento e ainda assim conseguindo conquistar corações em todo o mundo. Parece ser essa a maior herança deixada pelo grande astro que foi o James Dean. Sermos nós mesmos é uma lição difícil de assimilar, ele nos ensinou com excelência.


Algum outro astro o qual tenhamos perdido prematuramente?! Deixe nos comentários. O espaço é nosso.

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem