Um casal jovem tentando resgatar um relacionamento já desgastado em tão pouco tempo. Dean enquanto um homem apaixonado tenta reconquistar a sua esposa Cindy em um final de semana a sós em um quarto de hotel temático.
Dean, um rapaz empregado em uma firma de mudanças, se apaixona por Cindy de cara. Ele logo vê que encontrou o amor da sua vida.  Ele questinona se, isso é possível ao primeiro olhar?! Cindy, é uma jovem estudante de enfermagem. Ambos estão começando a vida sem grandes compromissos. Jovens e apaixonados a vida começa a acontecer a partir desse relacionamento profundo por sua doação. A história é contada em flashback's.
Na tentativa de retomar o fôlego da relação, eles acabam tendo que enfrentar os problemas do cotidiano deixados pelo caminho, as falas não ditas, até então evitadas.

Em uma visita como essa ao passado, tudo é colocado em chek. As pendências parecem ter um peso maior do que o que realmente tem. Todas as questões deixadas de lado até então parecem ganhar evidência. Parece que se não tivermos nossa realização pessoal além do amor, não adianta procurar um relacionamento como uma âncora pra vida. Ao menos, não colocando toda a sua realização em um relacionamento. Você precisa se realizar sozinho. Ao menos não se sentira tão desafortunado caso a história termine. Há vários filmes nos quais os mostram os personagens voltando pra seu próprio mundo, então nunca se deve deixar de construir o seu próprio mundo e ficar na expectativa de um relacionamento como sua composição única. Relacionamento depende das duas partes.

O filme mostra todos os conflitos deixados de lado pela dinâmica do dia a dia batendo a porta. Tudo o que se acumulou durante anos está sendo cobrado e parece ter um peso maior agora. O que se há de admirável no outro parece ter perdido a importância. O que é latente é a falta. O comprometimento só existe enquanto há sentimentos, parece que é o que realmente ligam duas pessoas. Com o passar do tempo todas as questões práticas vão ganhando configurações próprias, todas os obstáculos da vida vão sendo superado, menos aqueles que dependem de sentimentos. Não se cria sentimentos, se constrói relações. Ser esposa e marido não necessariamente significa amar, mas constituir uma família com compromissos e prazos definidos. Mas a ligação pela qual nos faz querer ficarmos realmente juntos?! Isso é posto no filme, assim como se devemos confiar em sentir, sendo que ele pode fugir de você?! Sentimentos... Há algo mais indefinido que isso?!

Essa história se mostra ainda mais interessante pra quem busca por filmes onde há protagonistas masculinos extremamente apaixonado.


Namorados para Sempre
Blue Valentine
Drama/Romance
Ano:2010
Duração: 1:52 hs
Direção: Derek Cianfrance
Onde Assistir: PrimeVideo

Esta Resenha faz parte de outros clássicos Romanticos para o Dia dos Namorados. Não deixe de acompanhar as outras resenhas que estamos fazendo esta semana:

Deixe o seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem